Prefeitura Covid 19 / Internas

“Vamos resgatar o esporte em Goiás”



Rafael Rahif

SECRETÁRIO DE ESTADO DE ESPORTE E LAZER (SEEL)

O secretário de Estado de Esporte e Lazer, Rafael Rahif concedeu entrevista exclusiva à nossa revista onde ele listou os avanços conquistados pela pasta em 2019. A principal transformação foi reunir a gerência de todos os órgãos desportivos do Estado que estavam sob a tutela da Agetop e UEG na Secretaria que ele dirige. E os resultados foram surpreendentes (acompanhe matéria nesta edição) com elevada economia e acréscimo de ações na prestação de serviços para todas as áreas. Somente o Autódromo de Goiânia estava em condições de funcionamento.
Acompanhe:

AUTO CLUB NEWS – O nosso autódromo é um dos melhores do Brasil e foi construído em 1974 pelo ex-governador Leonino Caiado. O Sr. saberia dizer por que escolheram o nome do piloto Ayrton Senna para o circuito goianiense? Hoje existem outros autódromos e circuitos com o mesmo nome do nosso eterno campeão. Vai continuar assim, ou poderá mudar?

RAFAEL RAHIF – Por enquanto vai permanecer como está, por força de legislação, nós acrescentamos apenas o nome Goiânia para ser a nossa referência. Eu sou fã do Senna, temos a mesma idade, acompanhei sua carreira, ele tinha familiares em Goiás. Estivemos juntos na reinauguração do autódromo de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. O nome agora é Autódromo Internacional de Goiânia “Ayrton Senna”. Mudar o nome para uma pessoa viva seria muito polêmico, já que a Lei não permite.

E quanto às reformas que foram realizadas no Autódromo, em 2014? O que o Sr. achou?

Desvirtuou muito o projeto original. Se eu tivesse lá no autódromo teria feito um aumento daquele paddock, um número maior de boxes. Mas eles aumentaram a largura do pit lane, o que ficou muito bom. O que mais nos impressionou foi à falta de respeito com o ex-governador Leonino Caiado. Eles tamparam a placa com o nome do construtor. Vamos resgatar essa falha histórica para o povo goiano, uma obra que permanece por mais de 45 anos sendo palco do automobilismo mundial.

O Sr. mandou fazer uma vistoria para detectar os problemas de desgaste do Autódromo de Goiânia?

Anotamos sim vários itens para serem recuperados. Um deles é o escoamento da água da chuva na Curva 0 e reparos no gradil, bem como um reforço entre a grama e o cimento, quase sempre danificados por caminhões de manutenção. Temos um contrato com a construtora que reformou o Autódromo ainda com carência e estamos buscando a realização dos reparos necessários. Vamos instalar também caixas de brita para atender ao motociclismo e outros campeonatos regionais do automobilismo goiano. São muitos os detalhes que estamos cobrando da empresa responsável pela reforma do Autódromo de Goiânia. Eu quero reformar todos os boxes também, instalar ar- -condicionado e compressores em todos, fazer funcionar todas as instalações elétricas e hidráulicas. Neste ano teremos várias provas importantes do calendário automotivo nacional sendo realizadas no nosso Autódromo, tais como a Stock Car (duas vezes no ano), Stock Light, Copa Truck, Endurance Brasil, Porsche Cup GT3, Copa HB20, dentre outros, além dos campeonatos regionais de motociclismo e do Marcas de Pilotos.

“A Fórmula 4, categoria de acesso à Fórmula 1, pretende realizar, ainda neste ano, pelo menos uma prova no Autódromo de Goiânia”

O Autódromo já sediou o Mundial de Motovelocidade, na década de 1980. Existiria alguma possibilidade do evento retornar à Goiânia?

Acho muito difícil, seria a glória. Mas para sediar o Mundial de Motovelocidade o autódromo teria de passar por reformas estruturais, fazer o recapeamento da pista, aumentar a largura de 12 para 14 metros, enfim, um custo inviável para o momento. A Dorna (promotora do Mundial de Motovelocidade) já realizou um estudo neste sentido, anos atrás, seria fantástico, mas infelizmente está longe do nosso alcance. Parece que o Mundial será realizado no novo autódromo previsto para ser construído, em Deodoro/RJ, novo circuito carioca que substituirá Jacarepaguá. Contudo, não desistimos, continuaremos lutando para trazer eventos internacionais, como o Mundial de Motovelocidade, para nosso Estado.

A Fórmula 4, categoria escada para a F1 foi chancelada pela FIA (Federação Internacional de Automobilismo) e seguirá o regulamento internacional, valendo pontos para o obtenção da superlicença da categoria máxima do automobilismo. O acordo foi firmado entre a CBA e a F/Promo Racing, empresa que já organiza as competições de Fórmula Vee no Brasil. Foi divulgado um pré-calendário da temporada no Brasil com duas provas previstas para Goiânia (maio e agosto). O Sr. tem conhecimento dessa proposta?

Sim, eles nos procuraram e levei-os até o governador Ronaldo Caiado. Entretanto, disseram que os carros só devem chegar em junho ao Brasil, e que pelo menos uma prova será realizada no Autódromo de Goiânia. Com algumas adequações poderemos receber também a Fórmula Indy, a Fórmula E, dentre outras.

Muitos pilotos perguntam por que a Secretaria (Seel) não tem recursos para estimular novos talentos, atletas e pilotos para correr em diversas categorias, como ocorre nos estado do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo….

“O Serra Dourada já foi o segundo melhor estádio do Brasil, na inauguração recebeu cerca de 70 mil pessoas”

O Governo anterior revogou em 28 de dezembro de 2018, no apagar das luzes, a lei de incentivos fiscais penalizando o Pro-Esporte e a Lei Goyases, que atendia à Cultura. Assumimos a nossa pasta com um déficit de R$ 15 milhões, em débitos. Já no Pro-Esporte havia muita irregularidade nas prestações de contas dos beneficiados. Apesar de tudo, os deputados estaduais tornaram sem efeito a revogação feita em 2018. Mas para tornar efeito, teríamos que regulamentar o novo projeto que trazia vícios, por isso decidimos uma nova modalidade.

E como será esse “novo incentivo”. Vai manter o nome Pro-Atleta?

Eu não quero nem dar o nome de Pro-Esporte. Mas ele vai ter uma nova modalidade. Talvez diretamente da secretaria com o esportista, com o atleta, com as federações entre a secretaria. Com isso nós tiramos alguns intermediários. O novo modelo não vai ser direto com a empresa e não impede que ela o faça diretamente com uma entidade ou atleta. Perante o Estado talvez o mesmo volume de dinheiro.

Na sua primeira entrevista, no início de 2019, o Sr. disse que encontrou o Serra Dourada em péssimas condições de uso e funcionamento. Deu para arrumar a casa neste ano que passou?

O Estádio Serra Dourada foi outra obra de grande visão do ex-governador Leonino Caiado. Depois do Maracanã, o nosso estádio era o melhor do Brasil. Na inauguração, reuniu mais de 70 mil pessoas para ver a seleção de atletas goianos contra Portugal. Foi construído pela Construtora Guarantã, o estádio estava à frente do seu tempo.

E como está hoje?

O Serra Dourada estava um caos, um verdadeiro abandono, o mato tomando conta, faltando 1.800 lâmpadas para trocar, vasos sanitários, chuveiros, bomba de drenagem, quadro elétrico de gerenciamento de segurança dos Bombeiros, tudo em péssimas condições. Uma das primeiras providências que fizemos foi a extinção do “quadro móvel”, o Estado pagava a limpeza do Estádio e demais serviços para uma empresa após os jogos, isso vem de muitos anos. Isso não é atribuição do Estado. Reunimos as federações e decidimos que este serviço será executado e pago pelo clube mandante.

“Neste ano teremos várias provas importantes do calendário automotivo nacional sendo realizadas no nosso Autódromo, tais como a Stock Car (duas vezes no ano), Stock Light, Copa Truck, Endurance Brasil, Porsche Cup GT3, Copa HB20, dentre outros, além dos campeonatos regionais de motociclismo e do Marcas de Pilotos.”

O Sr. comentou em entrevista que outros espaços esportivos estavam sucateados, abandonados pelo Governo anterior. Quais os mais atingidos?

Só para você ter uma ideia, o gramado do Estádio Olímpico estava tomado por ervas daninhas, impossível de ser utilizado na abertura do campeonato goiano; o Parque Aquático e o Ginásio Rio Vermelho também abandonados e não tivemos escolha. Interditamos os dois e convocamos a imprensa para mostrar. Hoje, o Parque Aquático está com água limpa, utilizado para aulas de natação. O Rio Vermelho também recebeu o Campeonato Brasileiro de Ginástica Artística, mas há muito ainda por fazer.

Diante de quadro de otimismo que o Sr. vislumbra, quais as perspectivas da sua pasta para este ano?

Eu quero parabenizar o governador Ronaldo Caiado por enfrentar de frente, com coragem e determinação, a situação caótica do Estado de Goiás, pagou os atrasados, colocou em dia a folha de pagamento dos servidores e conseguiu vitórias e apoio do empresariado estimulando os incentivos fiscais. Está se preparando para realizar o melhor Governo de todos os tempos para o povo goiano. E para atingir os objetivos traçados pelo governador eu só tenho que agradecer a minha equipe pela dedicação, empenho e comprometimento com o nosso trabalho. Tenho certeza, vou deixar a Seel bem melhor do que encontrei.

Newsletter

Cadastre seu e-mail e receba novidades..